Nilson Miranda

Rio de Janeiro, RJ 22 fotos

O segredo para a imortalidade é, primeiramente, viver uma vida que mereça ser lembrada! (Saint Augustine)

Robalos tricks e flexas em Guapimirim - RJ

Fotos

Relato

Robalo Trick

Boa tarde, meus prezados amigos! Hoje volto a escrever, depois de um final de semana bem produtivo. 
Segui juntamente com um grupo de amigos - todos os componentes são alunos do professor Hajime - para o município de Guapimirim a fim de fazer pescaria de fly e também de bait.
Partimos lá pelas cinco horas da zona sul da cidade do Rio de Janeiro e pegamos o caminho da ponte Rio-Niterói, seguindo depois pela rodovia Niterói-Manilha até o nosso destino. 
No caminho passamos por muitos riachos, onde se espera ver traíras em toda a sua extensão, além do cenário que preserva antigas fazendas - conta a história que por ali havia um dos principais portos da região, onde muitos navios negreiros descarregavam os escravos. Chegando ao local da pescaria, no rio Macacu, notamos o potencial piscoso do lugar, com águas tranquilas, manguezal e muita vida aquática. Descarregamos nossos equipamentos e partimos para a pescaria. Saímos em três barcos, cada um com uma dupla de pescadores.
Depois de navegar entre riachos e igarapés, chegamos ao mangue e logo peguei a minha vara de fly #8, coloquei um deceiver e comecei a jornada. Logo no início, o lugar me dava boas-vindas com um pequeno robalo-flecha esfomeado: que peixe danado! Briguei com o trink, embora o meu material fosse para encarar os avós dele. Mesmo assim valeu a pena e o dia estava apenas começando. 
Em alguns minutos, os outros pescadores estavam capturando os robaletes com equipamentos de fly e de bait também, todos muito felizes. Perto do meio-dia, paramos para um lanche com troca de informações e começamos a perceber a presença do mosquito maruim naquele local. Solicitamos repelentes, usamos e partimos para a segunda parte do dia, que prometia boas pescarias.
Já na segunda metade da pescaria, o nosso amado professor fisgou um baita robalo, que foi para o enrosco e conseguiu escapar, mas o sapiente mestre não se deixou abalar e voltou a pescar o fujão e até capturou mais trinks ali. Havia-se passado uma hora, quando comecei a ouvir uma agitação dos pescadores e vi que nosso mestre havia engatado outro robalo monstro, que envergou a vara de fly #8 dele, o danado não se rendia por nada e, após alguns minutos de briga, o animal se rendeu: QUE RO-BA-LA-ÇO!!!! Eu fiquei impressionado ... era o peixe do dia. Nosso professor, além de nos treinar, também nos mostra como pescar, capturando essas feras aquáticas com a turma dele.
A tarde ia passando e o peixe continuava comendo, era um festival de peixes, saíam no bait, no fly e até no pão com mortadela... KKKKKKKK. No final da tarde, a pescaria parou, porque houve uma queda de temperatura e isso influenciou a atividade daquela espécie que, por qualquer coisa, para de atacar. Começamos a recolher o material e regressamos para o local de embarque, onde pudemos contar uns aos outros as nossas experiências ali. 
Quando você for àquela região, não deixe de experimentar uma boa pescaria de robalos no mangue, é uma coisa de louco, você ficará plenamente satisfeito com o resultado. Eu garanto!

Deixe um Comentário:
AtençãoX

Mensagem

Ok
Clube da Pescaria 2018 Todos os direitos reservados - Proibida reprodução total ou parcial